100 SACANAGEM!!!

Para refletir, se informar, rir e nunca chorar!

REFLITA XI

1 01UTC July 01UTC 2008

Reverência ao Destino (Carlos Drumond de Andrade)

Falar é completamente fácil, quando se tem palavras em mente que expressem sua opinião.
Difícil é expressar por gestos e atitudes o que realmente queremos dizer, o quanto queremos dizer, antes que a pessoa se vá.

Fácil é julgar pessoas que estão sendo expostas pelas circunstâncias.
Difícil é encontrar e refletir sobre os seus erros, ou tentar fazer diferente algo que já fez muito errado.

Fácil é ser colega, fazer companhia a alguém, dizer o que ele deseja ouvir.
Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer sempre a verdade quando for preciso. E com confiança no que diz.

Fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre esta situação.
Difícil é vivenciar esta situação e saber o que fazer. Ou ter coragem pra fazer.

Fácil é demonstrar raiva e impaciência quando algo o deixa irritado.
Difícil é expressar o seu amor a alguém que realmente te conhece, te respeita e te entende.E é assim que perdemos pessoas especiais.

Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar.
Difícil é mentir para o nosso coração.

Fácil é ver o que queremos enxergar.
Difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto. Admitir que nos deixamos levar, mais uma vez, isso é difícil.

Fácil é dizer 'oi' ou 'como vai?'
Difícil é dizer 'adeus'. Principalmente quando somos culpados pela partida de alguém de nossas vidas..

Fácil é abraçar, apertar as mãos, beijar de olhos fechados.
Difícil é sentir a energia que é transmitida. Aquela que toma conta do corpo como uma corrente elétrica quando tocamos a pessoa certa.

Fácil é querer ser amado.
Difícil é amar completamente só. Amar de verdade, sem ter medo de viver, sem ter medo do depois. Amar e se entregar. E aprender a dar valor somente a quem te ama.

Fácil é ouvir a música que toca.
Difícil é ouvir a sua consciência. Acenando o tempo todo, mostrando nossas escolhas erradas.

Fácil é ditar regras.
Difícil é seguí-las. Ter a noção exata de nossas próprias vidas, ao invés de ter noção das vidas dos outros.

Fácil é perguntar o que deseja saber.
Difícil é estar preparado para escutar esta resposta.Ou querer entender a resposta.

Fácil é chorar ou sorrir quando der vontade.
Difícil é sorrir com vontade de chorar ou chorar de rir, de alegria.

Fácil é dar um beijo.
Difícil é entregar a alma. Sinceramente, por inteiro.

Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida.
Difícil é entender que pouquíssimas delas vão te aceitar como você é e te fazer feliz por inteiro ..

Fácil é ocupar um lugar na caderneta telefônica.
Difícil é ocupar o coração de alguém.Saber que se é realmente amado.

Fácil é sonhar todas as noites.
Difícil é lutar por um sonho.

Eterno é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata.















Filed under: Poesias I Comments (1)

REFLITA IX

20 20UTC June 20UTC 2008

Precisa-se


--------------------------------------------------------------------------------

De pessoas que tenham os pés na terra e a cabeça nas estrelas.

Capazes de sonhar, sem medo dos sonhos.

Tão idealistas que transformem seus sonhos em metas.

Pessoas tão práticas que sejam capazes de transformar suas metas em realidade.

Pessoas determinadas que nunca abram mão de construir seus destinos e arquitetar suas vidas.

Que não temam mudanças e saibam tirar proveito delas.

Que tornem seu trabalho objeto de prazer e uma porção substancial de realização pessoal.

Que percebam, na visão e na missão de suas vidas profissionais, de suas dedicações humanistas em prol da humanidade, um forte impulso para sua própria motivação.

Pessoas com dignidade, que se conduzam com coerência em seus discursos, seus atos, suas crenças e seus valores.

Precisa-se de pessoas que questionem, não pela simples contestação, mas pela necessidade íntima de só aplicar as melhores idéias.

Pessoas que mostrem sua face de parceiros legais.

Sem se mostrarem superiores nem inferiores.

Mas... iguais.

Precisa-se de pessoas ávidas por aprender e que se orgulhem de absorver o novo.

Pessoas de coragem para abrir caminhos, Enfrentar desafios, criar soluções, correr riscos calculados.

Sem medo de errar.

Precisa-se de pessoas que construam suas equipes e se integrem nelas.

Que não tomem para si o poder, mas saibam compartilhá-lo.

Pessoas que não se empolguem com seu próprio brilho

Mas com o brilho do resultado alcançado em conjunto.

Precisa-se de pessoas que enxerguem as árvores.

Mas também prestem atenção nas magias das florestas.

Que tenham percepção de todo e da parte.

Seres humanos justos, que inspirem confiança e demonstrem confiança nos parceiros.

Estimulando-os, energizando-os, sem receio que lhe façam sombra e sim orgulhando-se deles.

Precisa-se de pessoas que criem em torno de si um ambiente de entusiasmo

De liberdade, de responsabilidade, de determinação,

De respeito e de amizade.

Precisa-se de seres racionais.

Tão racionais que compreendam que sua realização pessoal,

Está atrelada à vazão de suas emoções.

É na emoção que encontramos a razão de viver.

Precisa-se de gente que saiba administrar COISAS e liderar PESSOAS.

Precisa-se urgentemente de um novo ser.

ISAC LIBERMAN




Filed under: Poesias I Comments (1)

Mudanças

5 05UTC May 05UTC 2008



Escuta pai, apenas um minuto de sua atenção
Eu ainda sou criança e tenho o mundo pela frente
Sou novo e não pago pelo pão
Sei que ainda não vivi o suficiente.

Então por que percebo tantas mudanças?
Parece que o mundo não é igual era
E sempre nas minha andanças
Percebo alguém que se desespera.

Será que tem algo que eu posso fazer?
Que só me resta observar?
Será que ter é melhor que ser?
Cadê meu pai pra me acompanhar?

Filho você me deixou preso em mim
Mesmo no calor tenho a noite fria
Se o mundo mudou, eu digo que sim
E nem sempre a idade é sabedoria.

A mão que bate pode acariciar
Quem desespera hoje pode amanhã sorrir
Tudo no mundo vai sempre mudar
Nunca deixe sua esperança partir.

Jubergson Ferraz

Filed under: Poesias I Comments (0)

REFLITA II

11 11UTC April 11UTC 2008

PESSOAS SÃO MÚSICAS, VOCÊ JÁ PERCEBEU?


--------------------------------------------------------------------------------

Elas entram na vida da gente e deixam sinais. Como a sonoridade do vento ao final da tarde. Como os ataques de guitarras e metais presentes em cada clarão da manhã. Olhe a pessoa que está ao seu lado e você vai descobrir, olhando fundo, que há uma melodia brilhando no disco do olhar. Procure escutar. Pessoas foram compostas para serem ouvidas, sentidas, compreendidas, interpretadas. Para tocarem nossas vidas com a mesma força do instante em que foram criadas, para tocarem suas próprias vidas com toda essa magia de serem músicas. E de poderem alçar todos os vôos, de poderem vibrar com todas as notas, de poderem cumprir, afinal, todo o sentido que a elas foi dado pelo Compositor. Pessoas são músicas como você. Está ouvindo? Como você. Pessoas têm que fazer sucesso. Mesmo que não estejam nas paradas. Mesmo que não toquem no rádio.

"Pessoas São Músicas" integra a "Coleção de Caixinhas de Atitude" de ©José Oliva – Tel. (41) 352-6284, da qual fazem parte ainda "Ouse Fazer", "Seja Você O Menino", "Toda Pessoa Traz Estrelas Consigo", "Você Já Viu Uma Pipa Voar a Favor do Vento?" e "O Que Você Está Fazendo Para Mudar?" - www.caixinhadeatitude.com.br
Filed under: Poesias I Comments (0)

DENGUE

26 26UTC March 26UTC 2008

ACRÓSTICO MEU NO RECANTO DAS LETRAS, ESPERO QUE GOSTEM:

http://recantodasletras.uol.com.br/acrosticos/742093

 

Filed under: Poesias I Comments (0)

Quadro de Giz

15 15UTC February 15UTC 2008

 

Será que é fácil prever, onde vamos parar?

Quis o filho ao pai perguntar.

Esse distraído ao ler o jornal,

Só queria se informar do futebol.

Mas o adolescente era insistente,

Tanto perguntou que deixou seu pai descontente.

E conseguindo sua atenção,

Voltou a perguntar-lhe então.

Vamos parar na prisão,

Doando nossa casa para o ladrão?

Vamos parar no deserto,

Sem saber o rumo certo?

Ou fico mesmo em casa

E deixo a revista na escada,

Na rua deixo o gatuno a passear

E eu trancado só posso respirar?

Se daqui a pouco eu precisar,

De um pão para me alimentar,

Se continuar com fome

Eu uso o telefone?

O pai então apertou o jornal,

Na folha uma violência brutal.

Percebeu que seu filho não era mais tão criança,

Mas ainda lhe devia esperança.

Disse para o seu filho que não sabia responder,

Mas que nunca mesmo adulto deixaria de crescer.

E se alguém lhe falasse que não seria feliz naquele país,

Que outro ele faria mesmo no quadro de giz.

Jubergson Ferraz

Filed under: Poesias I Comments (1)

Report abuse Close
Am I a spambot? yes definately
http://sacana.blog.terra.com.br
 
 
 
Thank you Close

Sua denúncia foi enviada.

Em breve estaremos processando seu chamado para tomar as providências necessárias. Esperamos que continue aproveitando o servio e siga participando do Terra Blog.